USP tem 8 pesquisadores entre os melhores do mundo

Oito docentes da Universidade de São Paulo (USP) estão entre os pesquisadores mais influentes do mundo, segundo a avaliação da consultoria britânica Clarivate Analytics divulgada na última quarta-feira (15).

A Academia Chinesa de Ciências tem o maior número de pesquisadores citados, com 270. No ano passado, a Universidade de Harvard (EUA) estava em primeiro lugar.

O que você precisa saber:

  • Neste ano, um total de 7.127 pesquisadores de 68 países foram selecionados.
  • Os Estados Unidos lideram com 2.669 pesquisadores mencionados, representando 37,4% do total.
  • A China ocupa o segundo lugar, com 1.275 pesquisadores, seguida pelo Reino Unido em terceiro, com 574.

Brasil em foco na lista

O Brasil marcou presença com 19 pesquisadores na lista dos mais influentes, sendo a USP a instituição brasileira com mais docentes destacados, mantendo o número do ano passado, segundo o Jornal da USP. Veja abaixo os professores citados.

David Pendlebury, chefe de Análise de Pesquisa do Instituto de Informação Científica da Clarivate, destacou a importância da lista.

A lista de pesquisadores mais influentes identifica e celebra pesquisadores excepcionais na USP, cuja influência em seus campos impacta comunidades e traz inovações que tornam o mundo mais saudável, sustentável e seguro. Suas contribuições vão além de suas realizações individuais, fortalecendo a base da excelência e da inovação na pesquisa.

Geoffrey Cannon (FSP)

Especialista em Saúde Pública e em políticas internacionais em alimentação e nutrição, colabora com artigos sobre o projeto Nova e alimentos ultraprocessados. Além disso, é membro da equipe da Faculdade de Saúde Pública responsável pelo Guia Alimentar, de autoria do Ministério da Saúde. Geoffrey atudou como editor-fundador, designer e colunista da revista World Nutrition.

Maria Laura da Costa Louzada (FSP)

Doutora em Nutrição e Saúde Pública pela USP, é professora do Departamento de Nutrição da Faculdade de Saúde Pública e pesquisadora do Núcleo de Pesquisas Epidemiológicas em Nutrição e Saúde (Nupens). Ao mesmo tempo, é associada da Revista de Saúde Pública e da Revista Brasileira de Epidemiologia.

Carlos Augusto Monteiro (FSP)

Docente da Faculdade de Saúde Pública, aparece pela quarta vez consecutiva na lista. Carlos desenvolve pesquisas na área de Nutrição em saúde pública, com estudos sobre determinantes da tendência secular do aleitamento materno e da mortalidade infantil em países em desenvolvimento, metodologia e criação de indicadores para a avaliação antropométrica do estado nutricional de populações.

Jean-Claude Moubarac (FSP)

É colaborador do Núcleo de Pesquisas Epidemiológicas em Nutrição e Saúde (Nupens) e pesquisador do Centro de Pesquisas em Saúde Pública da Universidade de Montreal e do Transnut, grupo da Organização Mundial da Saúde voltado para o estudo da transição nutricional. Contudo, integra o conselho do sistema alimentar de Montreal. Entre 2011 e 2014, participou de programas de pós-doutorado em Nutrição na Faculdade de Saúde Pública da USP.

Docentes da USP
Docentes da USP estão entre os pesquisadores mais influentes do mundo. (Imagem: Jornal da USP/Reprodução)

Eurídice Martínez Steele (FSP)

Formada em Biologia pela Universidad Autónoma de Madrid. Após concluir seu mestrado em Epidemiologia pela London School of Hygiene and Tropical Medicine, voltou ao Brasil para cursar doutorado em Nutrição em Saúde Pública pela Faculdade de Saúde Pública da USP.

Atualmente, ela faz pós-doutorado na mesma instituição, onde estuda a associação entre o consumo de alimentos ultraprocessados e a qualidade da dieta e desfechos em saúde.

Raul Dias dos Santos Filho (FM)

Professor do Departamento de Cardiopneumologia da Faculdade de Medicina, é o diretor da Unidade Clínica de Lípides do Instituto do Coração do Hospital das Clínicas (Incor), exercendo atividades de ensino, pesquisa e assistência nas áreas de graduação e pós-graduação. Bem como atua no Hospital Israelita Albert Einstein, realizando estudos na área de prevenção cardiovascular.

Renata Bertazzi Levy (FM)

É pesquisadora científica no Departamento de Medicina Preventiva da Faculdade de Medicina. Tem experiência na área de Saúde Coletiva, com ênfase em Epidemiologia, atuando em temas como: consumo de alimentos, inquéritos sobre dietas, ambiente alimentar e sustentabilidade.

Pedro Henrique Santin Brancalion (Esalq)

Professor associado do Departamento de Ciências Florestais da Esalq, é o vice-coordenador do Pacto pela Restauração da Mata Atlântica e membro afiliado da Academia Brasileira de Ciências. Possui graduação em Engenharia Agronômica e doutorado em Ciências pela Esalq. Igualmente, atua em temas como manejo e restauração de florestas tropicais de forma economicamente viável e com inclusão social.

Universidades brasileiras na lista

Assim como a USP, outros pesquisadores de dez instituições brasileiras foram reconhecidos na lista Highly Cited Researchers. Essas instituições incluem:

  • Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden)
  • Fundação Oswaldo Cruz
  • Instituto Federal do Rio de Janeiro (IFRJ)
  • Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-RJ)
  • Universidade Estadual de Campinas (Unicamp)
  • Universidade Estadual Paulista (Unesp)Universidade Federal de Pelotas (UFPel)
  • Universidade Federal de Santa Maria (UFSM)
  • Universidade Federal de Viçosa (UFV)
  • Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)
  • Universidade de São Paulo (USP)

A lista Highly Cited Researchers é divulgada anualmente desde 2014 e resulta de uma análise das citações de artigos publicados por pesquisadores ao longo de uma década, utilizando a plataforma Web of Science. Após a elaboração da lista, é conduzida uma análise quantitativa com a contribuição de especialistas.

 

 

 

 

Fonte: https://olhardigital.com.br/2023/11/18/ciencia-e-espaco/usp-tem-8-pesquisadores-entre-os-melhores-do-mundo/