Estes bichinhos robóticos querem conquistar seu coração

Nem mesmo os bichos de estimação estão a salvo do avanço da tecnologia. Todo ano, durante a CES (Consumer Electronics Show, uma das maiores feiras de tecnologia do planeta), várias empresas apresentam seus projetos de bichinhos robóticos equipados com inteligência artificial. A promessa é oferecer a mesma conexão emocional e benefícios à saúde que um animalzinho de verdade, sem o risco de alergias ou ter de lidar com passeios e a caixa de areia.

Uma novidade neste ano é o Moflin, que pode ser descrito como uma “salsicha peluda”. Sem braços, pernas, orelhas, nariz ou boca, ele se conchega nas mãos do dono e faz barulhos como um gatinho. O pet robótico tem uma bateria com autonomia de oito horas de operação, e o pelo é removível e lavável.

Segundo a Vanguard Industries, que desenvolveu o robô após arrecadar US$ 600 mil em uma campanha no Kickstarter, um sistema de inteligência artificial permite que cada Moflin desenvolva uma personalidade única, em resposta à forma como é tratado pelo dono. O bichinho estará à venda no segundo trimestre deste ano, por US$ 400.

Já o Qoobo não é uma novidade: vimos ele na CES 2020. Disponível em dois tamanhos, o pet robótico pode ser descrito como uma almofada com um rabo. Sensores permitem a ele reagir às carícias feitas pelo dono, abanando o rabo e ronronando como um gato, e um leve batimento cardíaco pode ser sentido quando o dono está aconchegado a ele.

O principal público do Qoobo, segundo a fabricante Yukai Robotics, são idosos em asilos, pessoas que sofrem com alergias e solteiros que não podem cuidar de um animal na maior parte do dia. O modelo original custa US$ 150, e uma versão menor chamada Petit Qoobo custa US$ 110.

Quem prefere um animalzinho robótico mais ativo tem como opção o Maicat, da Macroact, que parece uma versão felina do icônico Aibo da Sony. Ele anda pela casa e tem um sistema de IA que lhe permite reconhecer mais de 100 rostos, além de vozes e até mesmo emoções. Com o tempo, a forma como é tratado lhe dá uma personalidade própria.

Sua autonomia de bateria é de apenas duas horas, o faz com que seja ainda mais parecido com um gato: longas sonecas (para recarregar) seguidas de períodos menores de atividade. O Maicat estará disponível em breve no Kickstarter, com previsão de entrega no terceiro trimestre deste ano e preço inicial de US$ 1.000.

 

 

 

 

Fonte: https://olhardigital.com.br/2021/01/12/noticias/ces-2021-estes-bichinhos-roboticos-querem-conquistar-seu-coracao/

Deixe seu comentário