Fitbit obtém autorização para uso de eletrocardiograma em smartwatch

A Fitbit conseguiu a autorização da Food and Drug Administration (FDA), nos EUA, e do órgão regulador da União Europeia para o seu aplicativo de eletrocardiograma (ECG), que virá incorporado ao novo smartwatch Sense. O modelo deve estar no mercado em outubro, quando permitirá a avaliação de ritmo cardíaco para fibrilação atrial.

O novo relógio da empresa custará cerca de US$ 329, o que equivale a R$ 1.737,12. Além da função de ECG, o aparelho fará a medição de atividade eletrodérmica — capacidade de condução de eletricidade pela pele, que varia de acordo com a sudorese —, indicando o nível de estresse do usuário.

Reprodução

(Novo modelo da Fitbit reforça o compromisso da empresa com a tecnologia em saúde. Créditos: Fitbit/Divulgação)

Fibrilação atrial

A fibrilação atrial ou AFib é uma doença que acomete pelo menos 33,5 milhões de pessoas em todo o mundo. A doença muitas vezes não é identificada em consultórios médicos, pois nem sempre o coração apresenta ritmo alterado, mas pode levar a várias complicações graves, incluindo acidente vascular cerebral. Sabendo disso, a Fitbit desenvolveu o software que, em testes, detectou 98,7% dos casos de AFib.

Vale destacar que a marca vem há algum tempo investindo em tecnologia de saúde. Com o compromisso de inovação em bem-estar do coração, o smartwatch Sense também possuirá o primeiro sensor de atividade eletrodérmica (EDA) do mundo, que permitirá ao usuário controlar o estresse e ainda medir a temperatura da pele no pulso.

Reprodução

(AFib atinge milhões de pessoa ao redor do mundo e alteração do batimento cardíaco poderá ser identificada pelo novo relógio da Fitbit. Créditos: Mark_Kostich/Shutterstock)

O aparato também terá GPS integrado, proteção contra água (5ATM), aplicativo para monitorar a qualidade do sono, bem como funções comuns a smartwatches, como ligações via Bluetooth, mensagens e suporte ao Google Assistente ou ao Amazon Alexa.

Novos modelos

Quando anunciou o Sense, a Fitbit também mostrou outros dois novos modelos, o Inspire 2 e o Fitbit Versa 3. O primeiro custará US$ 100 e contará com tecnologia de monitoramento de batimentos cardíacos, sono, queima de calorias, entre outras funcionalidades mais simples.

Já o Versa 3 deverá sair por US$ 229. O relógio possuirá GPS integrado, contador de calorias e batimentos cardíacos, conectividade com Google Assistente ou Amazon Alexa, além de player de músicas e aplicativo para medir a qualidade de descanso. O modelo é a opção intermediária entre o Sense e o Inspire 2.

 

 

 

 

Fonte: https://olhardigital.com.br/noticia/fitbit-obtem-autorizacao-para-uso-de-eletrocardiograma-em-smartwatch/106930

Deixe seu comentário