Covid-19: pesquisadores identificam 21 remédios que inativam o vírus

Um grupo de pesquisadores identificou 21 medicamentos já existentes que podem ter eficácia contra a Covid-19. Os remédios testados conseguiram inativar o vírus numa cultura de células em laboratório, mas ainda não foram testados em humanos. Publicado na revista Nature, o estudo dá os primeiros passos para que se proponha um tratamento alternativo enquanto drogas específicas para a doença não são fabricadas.

Para chegar aos resultados, os cientistas analisaram 12 mil drogas pertencentes a uma coleção mundial de medicamentos chamada “ReFRAME Drug Repurposing Library”. A grande maioria das substâncias não teve efeito algum, mas cerca de 100 impediram a multiplicação do vírus. Dessas, apenas 21 mostraram eficácia em doses seguras para humanos.

“Este estudo expande significativamente as opções terapêuticas possíveis para pacientes com Covid-19, especialmente considerando que vários dos compostos testados já possuem registros de segurança clínica em humanos”, afirmou o virologista Sumit Chanda, um dos autores da pesquisa.

File-Vero-Cellsg-Wikipedia09fbc1a9df6a17bc.png

(Medicamentos foram testados em células cultivadas em laboratório. Imagem: Reprodução/FreeImages)

Potencial do remdesevir

Um dos remédios que obtiveram bons resultados foi o remdesivir, criado originalmente para combater o ebola. Outros estudos já haviam demonstrado o potencial da droga contra o novo coronavírus.

Um deles, publicado em maio na revista The New England Journal of Medicine, indicou que a substância reduz o tempo de infecção pela Covid-19. Outro, divulgado na própria Nature, mostrou o efeito positivo do remédio em macacos.

Em maio, o remdesivir foi aprovado em caráter emergencial para tratamento de casos graves de Covid-19 nos Estados Unidos. No Brasil, testes com o medicamento foram autorizados pela Anvisa em junho.

Outras quatro drogas tiveram sucesso quando associadas ao remdesevir: ONO 5334, originalmente desenvolvida para testes contra artrite reumatoide; apilimod, usada no tratamento de doenças autoimunes; clofazimina, utilizada contra a hanseníase; e hanfangchin A, que combate a cirrose hepática.

“Este relatório fornece à comunidade científica um arsenal maior de armas em potencial que podem ajudar a controlar a pandemia global em curso”, completa Chanda.

É de suma importância destacar que os resultados não foram testados em humanos e, portanto, estas drogas não devem ser utilizadas, a menos que haja indicação médica. Os remédios agora serão testados em pequenos animais e mini pulmões criados em laboratório.

 

 

 

 

Fonte: https://olhardigital.com.br/coronavirus/noticia/covid-19-pesquisadores-identificam-21-remedios-que-inativam-o-virus/104198

Deixe seu comentário