‘Caça ao tesouro’ distribui senhas para assinaturas premium

O compartilhamento de senhas de serviços de assinatura é algo muito comum hoje em dia. Dividir o Spotify com amigos, a Netflix com os irmãos e outros serviços de streaming dessa maneira é quase uma prática onipresente.

A equipe do MSCHF – um grupo enigmático por trás do site de fotos de pés feitas com inteligência artificial e o “bong” de galinha de borracha, entre outros projetos – utilizou a mesma lógica e criaram a senha do dia, descrita como uma “caça ao tesouro na internet”.

Para utilizar, o usuário se inscreve para receber uma notificação pelo celular, que contém mais instruções. Todos os dias, às 12h ET (horário da costa leste dos EUA e do Canadá), o inscrito pode enviar uma mensagem de texto para o mesmo número, perguntando “qual é a senha de hoje?”. Então, o site retornará com um login para uma “conta misteriosa”. É tão misteriosa que pode ser Netflix, Tinder, TikTok, uma conta bancária com mil dólares (supostamente) – basicamente qualquer coisa (também supostamente).

Reprodução

A parte da “caça” é que é impossível saber para qual serviço são as informações de login sem tentar de tudo. O MSCHF diz para “explorar” a internet para descobrir. Isso se resume a testar o login até encontrá-lo (ou desistir), provavelmente depois de muito tempo e muita dor de cabeça. Caso consiga adivinhar corretamente de onde é a senha, a conta passa a ser sua.

De acordo com Dan Greenberg, chefe de comércio da MSCHF, pode haver alguma tradição associada a este projeto. É um comentário não apenas sobre o compartilhamento de senhas, mas sobre nosso comportamento online em geral. Em nossa sociedade, “tesouro” é um login para acessar gratuitamente a Disney+ por alguns meses, ou o Amazon Prime por um ano.

“Queremos causar o caos”, disse Greenberg, “e ao fazer com que muitas pessoas procurem rapidamente um serviço com um único login, isso será exatamente o que acontece”.

O caos certamente reinará este ano, um momento em que as pessoas se preocupam com a privacidade de seus dados, mas ainda assim distribuem seu número de telefone a empresas como a MSCHF na esperança de ganhar um login gratuito para seu serviço preferido. Greenberg não detalhou quanto tempo o projeto levará – e quantas contas eles estão distribuindo para os navegantes da internet encontrarem – mas talvez descobrir isso seja parte da aventura.

 

 

 

 

Fonte: https://olhardigital.com.br/noticia/-caca-ao-tesouro-distribui-senhas-para-assinaturas-premium/96242

Deixe seu comentário