O que podemos esperar do PlayStation 5

A Sony divulgou as primeiras informações oficiais sobre o sucessor do PlayStation 4 há alguns meses, e, em outubro, confirmou o nome e a previsão de lançamento do novo console: chamado PlayStation 5, ele será lançado no fim de 2020.

Confira abaixo tudo o que já sabemos – e o que achamos que sabemos – sobre o PlayStation 5.

Hardware

O PlayStation 5 será mais poderoso do que o PS4 Pro, obviamente. Apesar da Sony não ter divulgado em detalhes quão mais potente o novo console será, a fabricante deu algumas informações sobre tecnologias que serão incorporadas e podem ajudar a dar uma ideia do que virá por aí.

O processador adotado será um de oito núcleos baseado na linha Ryzen, da AMD. A GPU será uma versão customizada do Radeon Navi, também da AMD. O console vai ter suporte à tecnologia Ray Tracing – que oferece mais realismo na iluminação de objetos tridimensionais – e também uma unidade de áudio 3D.

Reprodução

Uma mudança que promete fazer bastante diferença na vida dos jogadores, apesar de não parecer tão interessante em um primeiro momento, é a substituição do disco rígido por uma nova unidade que, de acordo com a Sony, é mais veloz inclusive do que SSDs atuais.

Com isso, a Sony afirma que o tempo de carregamento de um jogo no PS5 será muito menor do que nos consoles atuais. Como exemplo, a empresa diz que uma tela de loading de 15 segundos no PS4 Pro seria reduzida a 0,8 segundo no PS5.

Controle

Pouco foi divulgado sobre o futuro controle do PlayStation 5, mas patentes registradas pela Sony podem nos dar uma ideia do que esperar. Uma delas fala sobre a inclusão de uma tela sensível ao toque ao acessório.

A patente em questão foi registrada em 2018 pela Sony e cita um controle parecido com o atual DualShock 4, mas com uma tela sensível ao toque – possivelmente no lugar do atual touchpad do controle do PS4.

Reprodução

Patentes não necessariamente resultam em produtos finais, e pode ser que a Sony tenha estudado, mas decida não adotar a tecnologia na versão definitiva do controle.

Mas a Sony já divulgou alguns dos recursos do futuro controle. O primeiro é o que chama da Haptic Feedback, que substitui o rumble que já existe desde o PlayStation original e soa como o HD Rumble que já existe nos JoyCon do Nintendo Switch. Basicamente, agora é possível transferir ao jogador as nuances de uma gama maior de sensações, de modo que “bater com o carro contra a parede tem uma sensação diferente de ser derrubado em um jogo de futebol”.

A segunda novidade é chamada de Adaptive Triggers; Basicamente, os gatilhos L2 e R2 poderão ser programados pelos desenvolvedores para resistir aos movimentos do jogador. Com isso, ele pode experimentar de forma mais fiel a resistência da corda ao disparar um arco, ou a dificuldade de controlar um carro numa pista off-road.

Em relação ao design do controle, é difícil imaginar algo muito diferente do DualShock 4: a configuração de botões já está bem estabelecida entre fabricantes e dificilmente será modificada na próxima geração, e, no geral, jogadores elogiam bastante o controle do PS4.

Jogos: físicos, digitais, via streaming?

Todas as opções acima! A Sony confirma que o PS5 vai manter um leitor de mídia física, embora não tenha detalhado qual tipo de mídia será usada – o PlayStation 4 lê discos Blu-ray. Mas ele deve manter o acesso à loja PlayStation Store, e, consequentemente, a opção de baixar games digitais. Ou seja, em relação à forma de rodar games, o PS5 não será nada diferente dos consoles atuais.

Reprodução

A Sony confirmou que o PS5 vai usar um leitor de Blu-Ray com capacidade de reproduzir também vídeos em 4K. A capacidade dos discos será de 100 GB.

E, por fim, a Sony já oferece em algumas partes do mundo o serviço de streaming PlayStation Now. Considerando que nomes como Microsoft e Google estão investindo na área, é difícil imaginar que o PS5 não seja compatível com o serviço. Resta saber se a Sony planeja expandir o PlayStation Now para outras partes do mundo – atualmente, o serviço funciona nos EUA, Japão, Canadá e parte da Europa.

Retrocompatibilidade

Um recurso confirmado para o PS5 e que não deu as caras no PS3 é a compatibilidade nativa com jogos do console antigo. No caso, quem comprar um PlayStation 5 vai poder rodar todos os games do PS4 sem dificuldade alguma, de acordo com a Sony.

Resta saber se a retrocompatibilidade vai se limitar ao PS4 ou não. A principal concorrente da Sony é a Microsoft, que, no Xbox One, oferece a possibilidade dos jogadores aproveitarem títulos do primeiro Xbox e também do Xbox 360, com truques de software que oferecem mais qualidade de imagem em relação ao lançamento inicial.

Reprodução

(Será que o PS5 vai rodar jogos de PS3 também?)

Se a Sony não quiser ficar para trás, pode desenvolver uma tecnologia que possibilite desfrutar jogos de consoles antigos – o primeiro PlayStation, o PS2, o PS3 e quem sabe até os portáteis PSP e PS Vita – com melhorias no PS5. Por enquanto isso é apenas especulação – a Sony não falou nada oficialmente sobre essa possibilidade.

PlayStation VR

A realidade virtual continua sendo importante para a Sony, e o PS VR será compatível com o PS5. É possível que uma atualização seja lançada para fins de compatibilidade, mas a ideia é que os modelos atuais do visor de realidade virtual continuem funcionando perfeitamente com o novo console.

Reprodução

E não há motivos para a Sony abandonar o visor de realidade virtual. De acordo com a fabricante, mais de 4,2 milhões de unidades do PlayStation VR foram comercializadas desde o seu lançamento em 2016, superando os principais concorrentes como Oculus Rift e HTC Vive.

Disponibilidade e preço

Em 2020, o PS4 completará sete anos no mercado. Foi o mesmo tempo que o PS3 ficou antes do lançamento do atual console da Sony. Então é de se esperar que o PlayStation 5 chegue já no ano que vem – a Sony confirmou que ele será lançado no fim de 2020, a tempo das compras de fim de ano.

Em relação ao preço, é difícil saber, mas os US$ 400 cobrados pelo PS4 no lançamento são considerados fundamentais para o sucesso do console. Enquanto isso, a Microsoft tentava vender o Xbox One por US$ 500. No lançamento do PS4 Pro, a mesma faixa de preço foi mantida. É provável que a Sony tente manter o mesmo preço para o futuro PS5, no entanto, é difícil dizer agora o que esperar do preço.

Recentemente, uma loja sueca disponibilizou o PlayStation 5 em pré-reserva custando 9999 Coroas Suecas, o que dá cerca de R$ 4 mil. É pouco provável que esse seja, de fato, o preço do console. A loja em questão – chamada Media Markt – colocou no anúncio do console que “as informações são temporárias e podem mudar no lançamento” – é capaz que eles não tenham nem certeza do que será o PlayStation 5, muito menos de quanto custará, mas já estão abrindo espaço para interessados no futuro console reservarem uma unidade do aparelho.

 

 

 

 

Fonte: https://olhardigital.com.br/games-e-consoles/noticia/o-que-podemos-esperar-do-playstation-5/84808

Deixe seu comentário