Vídeo: a incrível aterrissagem autônoma de uma aeronave

Teste tripulado é considerado o primeiro pouso autônomo da história.

Em um vídeo, pesquisadores alemães mostram um voo teste em que um pequeno avião de quatro lugares equipado com um sistema de posicionamento óptico experimental realiza um pouso totalmente automatizado com sucesso — para o alívio do piloto observador, que só fica sentado no cockpit.

Em aviões comerciais e outros grandes jatos, os pousos dependem de uma tecnologia chamada Instrument Landing System (ILS). Ela usa sinais de rádio e o piloto automático a bordo para guiar as aeronaves em sua aproximação final.

Outros tipos de sistemas de auxílio ao pouso também existem, mas, embora possibilitem grande precisão no alinhamento de pouso e aterrissagens em condições climáticas com pouca visibilidade, geralmente pedem que as pistas sejam equipadas com uma infraestrutura de antena complexa e cara, nem sempre disponível ou prática para aeroportos menores.

Para solucionar essa questão e realizar o sonho de um sistema de pouso de aeronaves confiável, seguro e totalmente autônomo, uma equipe liderada por pesquisadores da Universidade Técnica de Munique (TUM) vem desenvolvendo uma alternativa que faz praticamente o mesmo que o ILS, mas sem precisar de antenas terrestres.

Chamado de ‘C2Land’, o sistema experimental da equipe usa GPS para controle de voo em conjunto com um sistema de navegação com visão aumentada para pouso.

A tecnologia, descrita em três trabalhos separados publicados neste ano, emprega um “sistema de posicionamento óptico a ser implantado abaixo de 200 pés [60 metros] e no chão, após o pouso, para ser usado como uma fonte adicional para informações de posicionamento”.

O sistema de visão computacional, que processa a luz visível e infravermelha em casos de visibilidade fraca — devido à luz do sol ou neblina — permite que o C2L reconheça a pista e calcule um caminho de planeio virtual para a abordagem de aterrissagem.

Soa como um equipamento abrangente, mas a prova real é ver se todos esses algoritmos e sensores podem realmente fazer o que pretendem quando estão caindo em direção ao solo sem a firmeza das mãos de um piloto humano. Felizmente, uma filmagem (abaixo) de um voo de teste realizado em maio deste ano mostraram que sim, isso é possível.

Equipando uma aeronave de hélice Diamond DA42 modificada com o sistema C2Land, os pesquisadores observaram, pela primeira vez, a experimentação da tecnologia por Thomas Wimmer, piloto de testes.

Como mostra o vídeo, Wimmer não assume o controle da aeronave durante o pouso, permitindo que o sistema automatizado engajado cuide de toda a aproximação e aterrissagem.

“As câmeras já reconhecem a pista a uma grande distância do aeroporto”, afirmou o piloto. “O sistema então guia a aeronave pela abordagem de aterrissagem em uma base totalmente automática e a aterra precisamente na linha de centro da pista.”

Alguns chamaram este de “o primeiro pouso autônomo de uma aeronave”, mas um protótipo experimental da Boeing já havia atingido o feito. Contudo, não se pode deixar de notar que as circunstâncias eram reconhecidamente favoráveis — ambiente controlado e ausência de passageiro humano na aeronave.

O voo teste da TUM se assemelha ao tipo de aterrissagem que pequenos aviões em serviço realmente precisam fazer — e isso foi feito de forma totalmente autônoma.

É claro, levará algum tempo até que esse tipo de sistema seja usado em qualquer outra situação que não sejam voos experimentais, porém, os pesquisadores afirmam que esse deve ser o caminho tomado pela indústria.

“O pouso automático é essencial, especialmente no contexto do futuro papel da aviação”, diz o pesquisador de dinâmica de sistemas da TUM, Martin Kügler.

A pesquisa foi descrita no Proceedings of the ION 2019 Pacific PNT Meeting e está disponível em artigo no AIAA SciTech Forum .

 

 

 

 

Fonte: https://olhardigital.com.br/noticia/aterrissagem-autonoma-de-aeronave-e-feita-com-sucesso/87804