Exercício combate inflamação originada pela gordura

O exercício é um dos hábitos mais poderosos para melhorar a saúde contra doenças metabólicas. Não é de hoje que os profissionais da área da saúde falam sobre os benefícios invisíveis da atividade física e recomendam fortemente sua prática regular. Mesmo quando não promove a perda de gordura e a redução do peso corporal, o exercício proporciona benefícios cardiometabólicos muito importantes.

De acordo com uma revisão recentemente publicada no “Exercise and Sports Sciences Reviews”, o exercício é capaz de melhorar a “saúde” das células adiposas. O nome do artigo é bastante sugestivo: “make fat cells fit”, o que significa mais ou menos, “treine suas células adiposas”. Segundo os pesquisadores da Universidade de Missouri, tal benefício se dá principalmente por dois motivos: melhora da função das mitocôndrias e redução da inflamação das células de gordura.

Sabemos que existe uma relação direta entre obesidade e inflamação. Isto ocorre porque o tecido gorduroso libera substâncias inflamatórias que dentre outros efeitos deletérios favorecem o aparecimento das temidas placas de ateroma e aumentam a resistência à insulina, favorecendo o aparecimento da diabetes tipo 2.

Apesar dos mecanismos pelos quais o exercício ajuda a combater a inflamação originada pelo tecido adiposo ainda não estarem totalmente esclarecidos, sabe-se que tal efeito anti-inflamatório desempenha um papel fundamental para se evitar as doenças metabólicas. Esse benefício é especialmente importante para mulheres pós-menopausa ou após a retirada dos ovários, pois nesses casos a mulher deixa de produzir o hormônio estrogênio que a protegia contra essas doenças, e o exercício tem ação protetora similar a deste hormônio.

Portanto, mais uma vez fica registrada a evidência de que a prática regular de exercícios físicos promove inúmeros benefícios que devem ser muito mais valorizados do que aqueles que podem ser computados pela balança.

TURÍBIO BARROS

Mestre e Doutor em Fisiologia do Exercício pela EPM. É membro do American College of Sports Medicine, professor e coordenador do Curso de Especialização em Medicina Esportiva  da Unifesp e fisiologista do São Paulo FC e coordenador do Departamento de Fisiologia do E.C. Pinheiros.

Fonte: http://globoesporte.globo.com/eu-atleta/saude/noticia/2016/12/alem-da-balanca-exercicio-combate-inflamacao-originada-pela-gordura.html